Helena tem 17 anos, um namorado perfeito e um futuro muito bem-planejado pela frente. Rebecca tem uma família problemática, nenhum amigo e um dom que não consegue controlar — ela prevê o futuro.

Quando as duas se esbarram na entrada do colégio, dois universos se misturam. Helena abre os olhos para o inexplicável, e Rebecca passa a ter vislumbres de um futuro que não é seu. Ou, pelo menos, não só seu. Um futuro cheio da presença de Helena.

De início, esse encontro parece aleatório e até um pouco irritante. Mas quando Helena passa a povoar as visões de Rebecca, tudo muda.

Rebecca odeia seu dom, mas ele fascina Helena. É insuportável tê-la por perto. É impossível mantê-la a distância. Por mais que Rebecca tente.

Ou talvez ela não tente tanto assim.
Porque, pela primeira vez em anos, um mundo previsível já não é tão desinteressante e monocromático.
As cores, o tempo e nós é uma história sobre amor, amizade e, principalmente, sobre mudar o que não podemos aceitar.

Deixe um comentário