"É estranho falar sobre Camilo. Porque ele é daqueles que rouba a festa, sabe dançar no meio da pista com elegância e chama toda atenção, consegue liderar conversas com muita aptidão e fala sobre tudo. Se diverte, é generoso e nunca destrata ninguém. A fama de antipático ganhou porque sabe ser aberto, mas nunca deixa ninguém entrar. 

Chega a ser perturbador.

Porque quando você observa melhor, o sorriso dele não toca nas orelhas e não chega aos olhos. É estranho encarar os seus olhos, pois são como duas constelações de gelo.

Sobre Camilo eu diria que é um corpo sem alma. Um embrulho perfeito por fora e completamente vazio por dentro. O seu olhar não tem brilho, estático como um mar azul electrizante e congelado. Não há vida dentro dele. Aquele tipo de homem que parece que pode apagar a sua existência num simples piscar e sem usar nenhuma arma.

Não que seja infeliz, pelo contrário. Teve tudo aquilo que toda criança precisa na vida: Um lar, uma família, amor, boa educação e dinheiro, muito dinheiro. Por isso me pergunto o que há de errado com ele? Como aquela Antárctida de seus orbes pode ser tão intimidadora de um jeito glacial?

É isso que estou prestes a descobrir enquanto caminho até ele para contar que vamos ter um filho. É verdade que parece que apliquei um golpe da barriga, mas também tenho interesse em descobrir a verdade por trás daquele vazio."

Deixe um comentário