Lorde Matthew Cheeven tinha tudo milimetricamente arquitetado. 
Nada daria errado. 
Iria raptar a noiva de seu pior inimigo bem no dia do casamento. 
Ele tinha a situação sob controle. 

Deixaria a jovem em uma casa abandonada sob seus cuidados até que sua vingança estivesse completa, e então a libertaria. 
A estratégia era boa, porém, o que o nobre cavalheiro não esperava era que sua cativa não se opusesse tanto ao rapto, muito menos que fosse tão terrivelmente bela, doce e sedutora, e que lhe causaria efeitos tão impróprios. 

Entre a vingança e o desejo, o que o bom lorde deve escolher? 

Deixe um comentário