Em Santa Heloísa, interior de São Paulo, crescia cercada de conforto e afeto a pequena Ana Carolina. Comemorações cheias de alegria, música, amigos e parentes eram parte do cotidiano dessa adorável e sensível menina. Enquanto isso, vivia na metrópole do Estado um garoto quieto e solitário, que numa manhã de agosto se mudou com a família para o interior.

Foi ele, Antônio Guerra, que apresentou para Ana Carolina uma realidade que ela ainda não conhecia. Aos poucos a garota foi se aproximando do menino enigmático e descobrindo seus segredos, pesadelos e a dolorosa verdade que sua família escondia. 

Carinho, amizade e confiança se tornaram laços que uniram essas duas crianças, ensinando-as como a vida poderia ser bela, mas também injusta. Juntos eles construíram uma história que nem as reviravoltas e imprevistos do futuro poderiam apagar.

Deixe um comentário