A morte espreita, à nossa espera, e nos chama a cada dia. Ruas sem saída, dimensões inimagináveis... É fácil vivermos sem nos preocupar em olhar o que está além do mundo visível aos olhos e não prestarmos atenção nos seres encapuzados que transitam ao nosso redor.

As criaturas andam entre nós e ao morrermos, elas conduzem as nossas almas. Quando caímos no abismo mortal, não há mais como voltar.

Ver além do obscuro. Além do celestial.
“Porque a vida às vezes pode ser um pesadelo pior do que a própria morte.”

Deixe um comentário