Ah, a aventura...

O heroísmo. O amor descomplicado. A busca pela glória. Pelo perigo. Assim como quadrinhos, filmes, games e livros da nossa juventude, As Aventuras de Tamtul e Magano foram o escapismo que Adapak precisava na infância – um portal mágico para uma Kurgala não menos ameaçadora, embora muito mais inocente.
E ainda que a vida real por fim tenha se revelado diferente do universo fantástico que eu, você ou o Espadachim de Carvão adoramos, gosto de acreditar que as aventuras que experimentamos no imaginário de alguma forma nos preparam para o mundo verdadeiro. 

Gosto de pensar que a imponência da pirata Bêlit ou a determinação do cimério Conan, por exemplo, possam ser as fagulhas que ajudarão a forjar homens e mulheres donos do próprio destino. Para mim com certeza foram.

E como funciona a fantasia de um mundo fantástico? Não muito diferente da nossa, creio; basta que nos mostre a verdade dentro da mentira, como um grande autor um dia disse. Seja bem-vindo(a) então ao período mágico entre a Era Dingirï e a Era dos Mortais, quando monstros existem, duelos são resolvidos sob chuva pesada e vilões não dispensam um bom discurso. Espero que você se divirta nesta pequena aventura dos irmãos Tamtul e Magano e testemunhe um pouco da fagulha que ajudou a forjar um jovem semideus de olhos brancos e pele de carvão.

Deixe um comentário