Mesclando o fictício ao real, esta história cria uma nova realidade sobre Hitler e sobre como e porquê ele fez o que fez. “A lua era cheia. A data, 21 abril de 1937. Sexta-feira. E o homem chegou ao seus domínios com a sua presa. — Que farei agora? — perguntou ao anjo mau. E respondeu o anjo mau: — Degole o ser impuro! E, com uma espada afiada, o homem degolou a criança e bebeu de seu sangue. Derramou o restante do líquido vermelho sobre uma banheira e deitou-se sobre ela. Então, o anjo mau, com nostalgia, pôs a mão na cabeça do homem e disse: — Amaldiçoo-o com todo mal possível. E completou ainda o anjo: — Teu nome agora será Hitler.”

Deixe um comentário