A rodoviária para todos é o lugar de embarques e desembarques, beijos de despedidas, abraços para matar a saudades, todos com a certeza que ao subirem no ônibus a única coisa que lhes aguarda é o destino final indicado em sua passagem, porém às vezes uma partida pode ser uma chegada.

Guilherme diante do fim do seu noivado acredita nunca ter sentido amor e que jamais encontrará alguém que realmente valha a pena se jogar no desconhecido sentimento que ele nunca viveu. Ana Clara precisa recomeçar a sua vida, decide ir atrás de seu sonho e esquecer tudo que aconteceu no seu passado.

Em uma manhã comum na rodoviária do Tietê o destino se encarrega de traçar na vida dos dois um encontro e uma paixão desenfreada nascerá, mas existem feridas e cicatrizes que precisam ser amadurecidas para que só assim eles estejam prontos para as surpresas que o destino ainda guarda para os dois.

Deixe um comentário