“Teria sido uma noite como qualquer outra, se ele não tivesse aparecido.
E se eu não estivesse completamente sozinha. Com um estranho em um Penhasco e sem lembrar de como fui parar ali.
Me assustei quando ele se materializou à minha frente.
Nunca vi olhos iguais. Verdes, como esmeraldas.
Meu medo se tornou ainda maior com meu próprio desejo, que me
preencheu inexplicavelmente em um segundo ou menos.
Mas seu olhar me provocava uma sensação incômoda. Parecia gritar que alguma coisa muito ruim acontecia naquele instante.
Ainda assim, demorei a me convencer. Não podia ser real.
No início, pensei que tudo fosse apenas um sonho.
Quando despertei, já era tarde.”

Deixe um comentário