Em uma Nova York futurista, onde o chocolate e a cafeína são proibidos e uma série de restrições é imposta diariamente à população, Gabrielle Zevin volta ao mundo de Anya Balanchine, a determinada protagonista da trilogia Birthright, que chega ao fim com Na era do amor e do chocolate. 

Às vésperas de completar 18 anos, a filha de um dos chefões da máfia do chocolate decide se libertar das amarras da empresa de sua família e abrir seu próprio negócio, pondo em risco sua própria vida e a segurança de seus irmãos, unindo-se a um antigo inimigo. 

Depois de Todas as coisas que eu já fiz e Está no meu sangue, Anya Balanchine continua surpreendendo o leitor com sua força e coragem e entra de vez para o rol das grandes heroínas da atual literatura jovem.

Deixe um comentário