Uma obra ao mesmo tempo rebuscada, vulgar, histórica e contemporânea.

Ao apaixonar-se por Mona Sofia, uma prostituta veneziana, o anatomista Mateo Colombo inicia uma árdua exploração da natureza feminina e acaba por desvendar aquilo que desde o começo da História foi buscado por bruxos e feiticeiras, xamãs e alquimistas: o Amor Veneris, equivalente anatômico do kleitoris, a chave mágica para o coração das mulheres e o segredo que governa a misteriosa vontade de seu amor.

Porém, ao tentar tornar pública sua descoberta, o anatomista se depara com a perseguição da Igreja, que abomina seus métodos e rejeita suas descobertas, acusando-o de satanismo. Afinal, as novas ciências eram boas apenas se servissem para arrecadar ouro e não excedessem a verdade das Escrituras. 

As reflexões sobre a subversão do papel feminino na sociedade e sobre os tabus religiosos, ainda tão presentes no cotidiano, fazem de O anatomista uma polêmica e deslumbrante obra-prima.

Deixe um comentário