Não percebemos ainda quão complexo é o atual projeto de felicidade no casamento. Não fomos preparados para ele. Ainda pensamos que o amor resolve tudo ou que com bom senso equacionaremos as coisas. Contudo, as estatísticas mostram que a maioria não consegue fazê-lo.

O número crescente de divórcios, o incremento das queixas, a insatisfação matrimonial e a dificuldade dos solteiros em achar um companheiro são testemunhos da árdua tarefa de ajustar tantas expectativas. O modelo de casamento igualitário, voltado à felicidade pessoal e ao amor eterno, exige um ajuste de expectativas que não era necessário no século XIX no início do século XX.

É preciso mudar as perspectivas e as regras de convívio. Temos de adquirir competências matrimoniais que até há pouco nem sequer imaginávamos necessárias. É disto que trata 'A Equação do Casamento' - dos ajustes de desejos que cada um tem de fazer consigo - e também com seu companheiro.

A Equação apresenta seis dimensões que as pesquisas mostram ser cruciais para que marido e mulher permaneçam casados e tenham satisfação em fazê-lo. Ela permite discutir o casamento e serve para você refletir sobre o seu próprio casamento e o que pode (ou não) ser mudado nele.

Deixe um comentário