Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi.

Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette.

Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida.

Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor.

A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.

“Eu caio para trás, aninhando meu punho direito em meu peito e tentando me lembrar de que não sou um monstro, não preciso ser um monstro, não quero machucar as pessoas não quero machucar as pessoas não quero machucar as pessoas.
E não está funcionando.
Porque é tudo mentira.
Porque essa era eu tentando ajudar.
Olho ao redor.
Para o chão.
Para o que eu fiz.
E entendo, pela primeira vez, que tenho o poder de destruir tudo.”
 

Deixe um comentário