Uma combinação ágil e inteligente de aventura, romance e ficção científica... Depois de ler a primeira página, você também vai querer ‘saltar’ no tempo para saber o que vai acontecer no final...” O ano é 2009.

Com 19 anos de idade, Jackson Meyer é um cara normal... Ele está na faculdade, tem uma namorada... mas é capaz de viajar no tempo! Porém, não é como nos filmes – nada muda no presente durante os seus saltos para o passado e ele não precisa se preocupar com problemas no continuum do espaço- tempo ou com capacitores de fluxo defeituosos – seus saltos são apenas de uma diversão inofensiva... Isto é... até o dia em que dois estranhos invadem o dormitório onde estão Jackson e a namorada, Holly, e durante uma luta, ela leva um tiro.

Em pânico, Jackson salta dois anos no passado, ou seja, para 2007. Mas algo está diferente. Essa não é como suas outras viagens no tempo. Agora ele está preso em 2007 e não consegue mais voltar para o futuro. Desesperado para voltar a 2009 e salvar Holly, mas incapaz de voltar, Jackson não vê alternativa senão tocar sua vida em 2007 e aprender o que puder sobre suas habilidades.

Não muito tempo depois, as mesmas pessoas que atiraram em Holly em 2009, membros de um grupo apelidado pela CIA de “Inimigos do Tempo”, vêm à procura de Jackson, no passado. E nada vai detê-los até que consigam recrutar esse jovem e poderoso viajante no tempo. Recrutá-lo... ou matá-lo. Enquanto procura pistas sobre as origens da sua família, os Inimigos do Tempo e o departamento da CIA que monitora os viajantes do tempo – o Tempest –, Jackson precisa decidir até onde está disposto a ir para salvar Holly... e, possivelmente, o mundo inteiro.
"Por hora eu estava preso naquele estranho purgatório, esperando que algo ou alguém me dissesse o que fazer."
-----------------
"A sensação conhecida de me partir ao meio toma conta de mim. Eu seguro a respiração e espero que passe. Nunca é agradável, mas a gente acaba se acostumando".
-----------------
“Por alguns segundos, toda a questão da minha vida maluca e confusa se dissipou e era só eu, Jackson Meyer. Um cara normal, orgulhoso porque a garota de que ele gostava talvez estivesse de fato interessada nele. Embora eu quisesse ter cuidado com Holly, sem me aproximar demais, ainda assim era bom ouvir aquilo. Me deixou feliz... e no momento aquilo não era tarefa fácil.”
-----------------
“Holly caiu no chão e eu quis gritar, me atirar ao lado dela, mas no segundo em que o sangue vermelho começou a aparecer através do tecido do roupão, saltei no tempo. Desta vez parecia que eu não estava no controle.”

Deixe um comentário