O grande amor de sua vida pode estar mais perto do que você imagina.
 
Após um longo tempo de terapia para se recuperar de um fora, Sarah parece estar bem. Quer dizer, ela já recuperou seu peso normal e consegue pensar em outras coisas além de Bruno. 

O problema é que no fundo ela vive fantasiando o dia em que esbarra com ele na rua e: pimba! Ela está linda e radiante e ele percebe a mancada que deu. Seus planos são simples: reconquistar Bruno e depois dar o troco que ele merece. 

Mas o destino lhe prega uma peça quando Nestor, seu chefe, pede que ela visite um novo cliente e, de repente, tudo vira de cabeça para baixo. Lá está ela de frente para o seu antigo amor, que parece mais irresistível do que nunca! 

Enquanto isso, seu melhor amigo, Igor, sempre presente e irritantemente perfeito, não suporta vê-la cair nas garras do bonitão outra vez. Sarah terá que lutar contra os próprios conceitos para descobrir o verdadeiro sentido do amor.

 "– Como é amar alguém a vida toda?
– É a melhor sensação que alguém pode ter na vida. É como gostar de comer o pão daquela padaria da esquina e saber que eles nunca vão trocar de padeiro."

-------------
"Nas minhas fantasias mais malucas eu estou no meu melhor dia, com os cabelos esvoaçantes e a pele bronzeada, vestindo uma roupa bem bacana, passeando pela rua, quando dou de cara com meu ex-namorado.
Ele está meio estropiado. Não, ele está bem e tudo o mais e quando me vê, pimba! Percebe que terminar comigo foi o maior erro de sua vida. Na verdade, fui eu quem terminou com ele, mas por sua total e mais completa culpa."

-------------
"— Sempre esperei que você me visse como mais que um amigo, que você me... — ele dá um longo suspiro. — Mas agora... — ele parece atordoado.
Continuo olhando para Igor em silêncio, tentando decifrar em seus olhos alguma coisa além da decepção.
— Agora que eu já toquei a minha vida, você chega e diz que..."
[...]
— Na fazenda... Eu perguntei se ele se encaixava no seu perfil e você disse que sim.
Como fui tão idiota? Lembro exatamente da cena.
— Você disse à minha mãe que nós éramos como irmãos. Isso me matou por dentro — sua expressão se torna tão triste que tenho vontade de desaparecer pelo que fiz.
— Igor...
— Você acha que foi fácil para mim ouvir você chorar por um cara que nem a merecia? E ficar do seu lado, te dizendo que tudo ia ficar bem, quando, na verdade, queria que vocês dois nunca mais fizessem as pazes — ele explode. — E agora... Agora que eu já coloquei as coisas em ordem de novo, você chega do nada e diz isso tudo... O que você espera? Que eu simplesmente olhe para você e diga "meu amor, vamos casar?" — sua voz está cheia de ironia."

Um Comentário

  1. Olá Angel!
    Adorei o blog,verdade viu.Quando entrei pensei "Uau",ja estou seguindo e pretendo visitá-la mais vezes com certeza.
    Gostei do livre,promete uma ser uma linda estória de amor.
    Bjos Fabi
    http://roubando-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir