O segundo volume da série Assassin’s Creed.
Roma, outrora poderosa, jaz em ruínas. A cidade está impregnada de sofrimento e degradação, os seus cidadãos vivem sob a sombra da impiedosa família dos Bórgia.

Apenas um homem poderá libertar o povo da tirania Bórgia: Ezio Auditore, o Mestre Assassino. A demanda de Ezio irá testá-lo até aos seus limites. César Bórgia, um homem mais malévolo e perigoso que o seu pai, o Papa, não descansará enquanto não tiver conquistado Itália.

Nestes tempos tão traiçoeiros, a conspiração está por todo o lado, até no meio da própria Irmandade... 

 “Chegarei até o coração negro do império corrupto para arrancar o mal pela raiz.
Mas Roma não foi construída em apenas um dia e também não será reerguida por um Assassino solitário.
Eu sou Ezio Auditore de Florença. Essa é a minha Irmandade.”
----------
- Se você sobreviver – disse ele – e voltar a ver aquele saco de estrume bexiguento que você chama de mestre, diga a ele que isso aqui foi feito com os cumprimentos de Ezio Auditore. Se não sobreviver, “requiescat in pace”.
 


Deixe um comentário