- Return to Paradise
Caleb Becker deixou Paradise oito meses atrás, levando consigo o segredo que prometeu levar para o túmulo. Se a verdade fosse descoberta, iria arruinar tudo.

Maggie Armstrong tentou ser forte depois que Caleb partiu seu coração e desapareceu. De alguma forma, ela conseguiu seguir em frente. Ela está determinada a fazer uma nova vida para si mesma.

Mas então Caleb e Maggie são forçados a passar uma viagem de verão juntos. Eles tentam ignorar sua paixão um pelo outro, mas sentimentos enterrados reaparecem. Caleb precisa enfrentar a verdade sobre a noite do acidente de Maggie, ou o segredo que destruiu seu relacionamento ficará para sempre entre eles.
  “- A verdade é que eu não queria ter nada a ver com você quando fui solto da prisão e voltei para Paradise. Eu culpei você por ser a razão pela qual fui para a cadeia. Eu culpei você por arruinar minha vida. E mesmo com toda a culpa e todo o ressentimento, eu me apaixonei por você. Seus malditos cantarolares, sua maldita insegurança, sua maldita vulnerabilidade... e aquela vez que você chorou em meus braços e se agarrou em mim como se eu fosse seu pilar de força, eu estava perdido, porque eu sabia que o que quer que estivesse se formando entre nós era real. Eu me odiei por estar me apaixonando por você.”

---------
“Logo eu começo a correr. Quanto mais rápido eu corro, mais minha mente corre com pensamentos do que era e o que poderia ser. Não, eu não posso, eu digo a mim mesmo. Mas e se eu o fizesse? (...). Tenho toneladas de arrependimentos, decorrente do meu medo de ser rejeitado pelas pessoas que eu me importo. Eu não quero estar sozinho. Eu não quero que minha família ache que eu desisti deles. Eu também não quero que Maggie pense que eu desisti de nós dois. Minha boca fica seca e meu coração está acelerado enquanto percebo para onde estou indo. Vou voltar a Paradise. Estou indo para casa”.
--------
“-Nós estivemos no inferno e voltamos. Vamos conseguir. (...). Confie em mim” - ele sussurra contra meus lábios. “- Maggie, você é meu paraíso”.
 

-Leaving Paradise
Nada foi o mesmo desde que Caleb Becker saiu de uma festa bêbado, pegou no volante, e atropelou Maggie Armstrong. Mesmo após meses de dolorosa fisioterapia, Maggie anda mancando. Sua vida social é nula e uma bolsa de estudos para estudar no exterior - sua chance para escapar de todos e de seus olhares de pena - foi cancelada. 

Após um ano na cadeia juvenil, Caleb está livre... se liberdade significa censuras sem fim de um Instrutor Transicional e os olhos curiosos da cidade inteira. Voltar para casa deveria ser bom, mas sua família e ex-namorada parecem pessoas estranhas. Caleb e Maggie são excluídos, taxados como "criminoso" e "aberração". 

Então a verdade vem à tona sobre o que realmente aconteceu na noite do acidente e, novamente, tudo muda. É uma jornada desolada e tortuosa para Caleb e Maggie, e ainda assim eles terminam encontrando conforto e força de uma fonte surpreendente: um do outro
"Meu sonho é encontrar um cara que vai me amar apesar dos meus defeitos e que não se afastará de mim quando uma garota perfeita passar. Talvez um garoto como esse nem sequer exista. "
--------------
  “-Sabe o que você precisa? – Pergunta Brian enquanto enxuga o suor da testa.
    - Um novo melhor amigo? – sugiro.
    - Não. Você precisa de uma namorada. Nomeie uma garota que você acha que é quente. Só manda um nome.
    - Maggie Armstrong.
    - Não, sério. Me dê um nome.
    - Eu tô falando sério.
    - Cara, isso é doente. Você foi para a prisão por causa dela.
    - Estou bem ciente disso.
    - Tá me dizendo que você tem tesão pela Maggie Armstrong? Sua vizinha? A garota que anda estranho porque você passou por cima da perna dela com seu carro?”

------------
“- Você está me seguindo? - ela perguntou, mas não me olhou nos olhos.
- Sim - eu disse.
- Por quê?
- Honestamente?
Ela olhou para mim, as sobrancelhas levantadas. Dei-lhe a única resposta honesta e verdadeira que eu tenho:
- Você está aonde eu desejo estar.”
----------
“Sortuda? Eu não sou sortuda. Pessoas de sorte não são atingidas por carros e têm que ir a uma fisioterapia dolorosa. Pessoas de sorte não têm pais divorciados e um pai que elas veem uma vez por ano. Pessoas de sorte têm amigos. Agora que penso sobre isso, eu sou provavelmente a pessoa mais azarada do universo inteiro.”



Deixe um comentário