A vida da guardiã Rose Hathaway nunca será a mesma. O recente ataque a Academia St. Vladimir devastou todo o mundo Moroi. Muitos estão mortos. E, pelas poucas vitimas carregadas pelos Strigoi, o destino deles é ainda pior. Uma rara tatuagem agora adorna o pescoço de Rose, uma marca que diz que ela matou Strigoi demais para contar.

Mas apenas uma vitima importa… Dimitri Belikov. Rose agora deve escolher, um de dois caminhos bem diferentes: princesa – ou, abandonar a academia para sair sozinha em uma caça para matar o homem que ela ama. Ela terá de ir ao fim do mundo para encontrar Dimitri e manter a promessa que ele implorou para ela fazer.

Mas a pergunta é, quando a hora chegar, ele irá querer ser salvo? Agora, com tudo em jogo – e mundos de distancia da St. Vladimir e sua desprotegida e vulnerável, e recentemente rebelde, melhor amiga – Rose pode encontrar forças para destruir Dimitri? Ou, ela vai se sacrificar para ter uma chance em um amor eterno?
Eu estava aos prantos, tanto amor, raiva e angústia reprimidos dentro de mim.” 

Eram muitos pedidos de desculpas, mas percebi que, quando se trata de quem é importante pra você, era assim mesmo. A gente se perdoa e segue em frente.

Está bem, Deus “, pensei. “Me tire dessa, e eu vou parar de faltar tanto à missa. O Senhor me poupou de um bando de Strigoi esta noite. Quer dizer, tacar aquele entre as duas portas não devia ter funcionado, então sem dúvida o Senhor deve ter mexido uns pauzinhos. Me deixe sair daqui, e vou… sei lá. Doar dinheiro de Adrian aos pobres. Ser batizada. Entrar para um convento. Bom, não. Essa última não.

Mesmo com aquele anel vermelho perturbador ao redor das pupilas, seus olhos ainda me lembravam o Dimitri que eu conhecera. A expressão em seus olhos - o aspecto desalmado e maligno - isso não tinha nada a ver com ele. Mas havia semelhança suficiente para balançar meu coração, subjugar os meus sentidos e sentimentos. Minha estaca pronta. Tudo o que eu tinha que fazer para matá-lo era continuar a trajetória. Eu tinha a oportunidade em minhas mãos…” 

Deixe um comentário