Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi - os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade.

Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola.

Mas isso é só o começo. Em O beijo das sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar?

Richelle Mead dá uma nova face à literatura vampiresca com este romance: mais ácida, apimentada e inteligente do que nunca, a saga dos Moroi e seus guardiões surpreende pelas reviravoltas e pela ousadia desses cativantes personagens
- Será que você nunca vai poder sair por um bom comportamento? - brincou ele.
Eu lancei para ele um sorriso que eu esperava parecesse sedutor, enquanto tentava encontrar a carteira onde devia me sentar.
- Claro - disse eu, por cima do ombro. - Se eu algum dia ficar boazinha.
” 

— Você viu aquele vestido?
— Eu vi o vestido.
— Você gostou?
Ele não respondeu. Eu entendi como um sim.
— Eu vou por em perigo minha reputação se eu o usar no baile?
Quando ele falou, eu mal pude ouvir ele.
— Você vai por em perigo a escola.


— Agora volte para seu quarto, se você conseguir fazer isso sem se jogar em cima de mais alguém.
— Esse é seu jeito sutil de me chamar de vagabunda?
” 

Deixe um comentário